Princípios de uma vida longa, no casamento! – Folha Espírita Cairbal Schutel – Arnaldo Divo Rodrigue 3.33/5 (3)

Download PDF

Não case cedo, não tenha pressa, conclua seus objetivos de estudo

e firme-se numa profissão, antes dessa maravilhosa aventura

que é o casamento.

As estatísticas demonstram que o menor índice de separação

de casais só acontece quando se casa depois dos 28 anos.
Por quê?

Em virtude do amadurecimento emocional – os casais têm mais

equilíbrio no relacionamento, têm a vida mais encaminhada, já concluíram

faculdade, têm emprego.
.
.

As facilidades de trabalho e de educação, bem como a opção

cada vez mais comum de convívio em união consensual (união estável)

demonstrada no Censo Demográfico 2010, são fatores que influenciam

no adiamento da formalização das uniões e consequentemente

na elevação da idade de solteiros se casarem.

Para casar, é preciso ter dinheiro para manter a casa.
Solteiro

em geral não sabe quanto custa o aluguel, a internet, o ar condicionado,

pois são os pais que mantêm tudo.
Casado, além dessas

despesas, passa a ter supermercado, carro, gasolina, ir jantar fora, ir

ao teatro ou cinema, então, precisa ter dinheiro!

As estatísticas não mentem, os noivos nem sempre estão preparados

para este ato: as separações começam cedo, bem nos primeiros

anos.
Mas o auge agora acontece aos 15 anos de casamento,

o maior índice de separação (em pesquisa de 2011); em 2006, era aos

18 anos de casados.
1

Bem oportuno comentar a parábola das dez virgens, ensinada

por Jesus.
O noivo vinha e escolhia a noiva que tinha luz: ele examina

a peça em que as noivas o aguardavam; aquela que tinha o

candeeiro aceso com azeite era escolhida, pois tinha luz – símbolo

de entendimento, trabalho, qualidade, caráter.
As outras virgens ficavam

no salão à espera; só um tolo ou tola se casaria no escuro,

com o primeiro que aparecesse.

Mas, pensando em princípios para um casamento longo, sugiro

algumas atitudes que podem auxiliar aos namorados e noivos:

a) Não focar apenas no parceiro; você casa com a família toda;

vai ter muita gente para auxiliar e também para dar palpite.

b) Não casar apenas pelo sexo, mesmo porque as pesquisas

demonstram que as relações melhoram com a idade.
Homens

com 50 anos se mostraram mais satisfeitos com sua vida sexual

do que aqueles na faixa dos 30 anos de idade.

c) Cumplicidade e persistência é obrigação quando se decide

casar; dificuldades todos têm no relacionamento, na família e

financeiramente, portanto, o amor dura se nos esforçamos para

fazê-lo perpetuar-se.

d) Por fim, respeito e tolerância, esse é o segredo maior.
É preciso

de esforço de ambas as partes, e casais que se sentiam realizados,

felizes, confirmaram que dedicavam tempo um ao

outro e conseguiam resolver conflitos com tolerância e respeito

ao direito de opinião do outro e também com calma e compreensão.

Nem sempre conseguimos.
Eu estou tentando até

hoje, com 42 anos de casado! É um esforço de todo dia.
.
.

E como toda regra tem exceção, o meu casamento feliz e seguro,

ocorreu quando eu tinha 23 anos e minha esposa 17.

Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo é editor da Editora EME

__________________________________________________________________________________________________

1 Pesquisa “Estatísticas do Registro Civil 2011” (portal Uol,

18/12/2012).

137 total views, 1 views today

  • 4
    Shares