OLHOS DO INICIADO – Horizontes da Mente – Miramez 2.5/5 (2)

Download PDF
[Total: 0    Média: 0/5]

A glândula hipófise, ajustada na raiz do nariz como um sol interno, ou como é chamada em algumas escolas: olho de Shiva, terceira visão, olho da mente, lâmpada do iniciado – essa famosa massa segregadora tem relação íntima com os olhos físicos, proporcionando, a estes, uma metavisão que desvenda os mistérios das coisas chamadas invisíveis.

Essa glândula, no homem comum, parece atrofiada, ou como queiram dizer – dormindo – esperando que o coração se manifeste, com qualidades superiores, dominando todos os sentimentos em decadência, para que ela desperte e cresça, tornando-se um astro no encaixe do ser humano.

O homem iniciado ou místico por excelência já conquistou a si mesmo, em muitos ângulos da educação espiritual.

A sua mente já constitui um campo onde os frutos bons são fatos reais.

Não existindo joio, os pensamentos seguem curso normal em relação ao Evangelho.

Automaticamente, suas ideias se formam na escala do amor, por sintonia com o bem, e seus atos garantem sua conduta de cristão autêntico.

Dessa forma, os olhos do iniciado se antecruzam com a visão interna, fazendo com que os paralelos das vistas se misturem, aglutinando a mais pura sensibilidade, para que a alma possa perceber as imagens, em duas faixas de vida, com nitidez indescritível.

A retina tremula com imagens sobrepostas que logo se ajustam ao receber a seiva mental, a eletricidade divina que o coração fornece, recolhendo-a de outros centros de força e consubstanciando-a através dos nervos da visão.

A pituitária é de capital importância nesse dom grandioso de pesquisar pêlos olhos.

No entanto, existem várias coisas que a levam à inércia, como o sexo desenfreado, a vingança, o egoísmo etc.

Somos dotados de determinado campo de força (cujo nome suprimimos, para que não haja abuso dos menos avisados) fornecedor de energia sublimada à visão, fluídos que o iniciado usa nas conversações com os companheiros, com os enfermos, e na disseminação da palavra evangélica.

É bom que prestemos atenção, certificando-nos de que os olhos de determinadas pessoas que se apresentam bastante diferentes dos demais são envolvidos na luz natural da visão comum por outra claridade, intercambiando poderes plasmáticos, de comum acordo com as leis da química e da física, recolhendo, assim, do exterior, o panorama para a alma, sem se pertubarem e sem se confundirem, qual receptor que recolhe notícias em várias ondas, ou câmeras de televisão acionadas de uma só vez, sem que as imagens se atrapalhem.

Os olhos do iniciado ainda têm outros poderes, como o de curar os enfermos.

Flui, através dos olhos, um magnetismo espiritual de alto teor, conforme a evolução da alma e, quando ele escapa de determinado posto de força, o espírito sente e nele plasma o seu poder de curar, e esse reage, tomando condições químicas compatíveis com o complexo ffsico.

Esse trabalho requer muito amor às criaturas, muita tranquilidade na consciência e bastante alegria pura.

Também se cura à distância com esse método, fluidifica-se água, serenam-se os ânimos do ambiente familiar, purifica-se a atmosfera individual das pessoas, para que elas sejam bem inspiradas, pelo menos na presença do homem a que nos referimos.

– 36 – A força nervosa do iniciado é bem canalizada juntamente com a força vital.

A natureza no-la fornece com abundância.

Dependendo do modo pelo qual gastamos essa essência superior, ela também se multiplica quantas vezes forem necessárias, dependendo do amor.

No caso de Jesus, quando era imprescindível, todo o corpo trabalhava em conexão com as vistas, para que as palavras pudessem operar maravilhas.

Assim os pensamentos, assim as palavras.

Ainda existem muitos mistérios no que se refere aos olhos do santo, que o tempo se encarregará de desvendar, gradativamente.

531 total views, 3 views today