Livro dos Espíritos – Pergunta Numero: 605 3.33/5 (3)

Download PDF
[Total: 0   Average: 0/5]
605. Se considerarmos todos os pontos de contato existentes entre o homem ê os animais, não poderíamos pensar que o homem possui duas almas: a alma animal e a alma espírita, e que, se ele não tivesse esta última, poderia viver, mas como os animais? Dizendo de outra maneira: o anima! é um ser semelhante ao homem, menos a alma espírita? Disso resultaria que os bons e os maus instintos do homem seriam o efeito da predominância de uma ou de outra dessas duas almas??

– Não, o homem não tem duas almas, mas o corpo tem os seus instintos, que resultam da sensação dos órgãos. Não há no homem senão uma dupla natureza: a natureza animal e a espiritual. Pelo seu corpo, ele participa da natureza dos animais e dos seus instintos, pela sua alma, participa da natureza dos Espíritos.

605-a. Assim, além das suas próprias imperfeições, de que o Espírito deve despojar se, deve ele lutar contra a influência da matéria??

– Sim, quanto mais inferior é ele, mais apertados são os laços entre o Espírito e a matéria. Não o vedes? Não, o homem não tem duas almas, a alma é sempre única, um ser único. A alma do animal e a do homem são distintas entre si, de tal maneira que a de um não pode animar o corpo criado para o outro. Mas se o homem não possui uma alma animal, que por suas paixões o coloque no nível dos animais, tem o ,eu corpo, que o rebaixa freqüentemente a esse nível porque o seu corpo é um ser dotado de vitalidade, que tem instintos, mas ininteligentes e limitados ao interesse de sua conservação. (1) O Espírito, encarnando-se no corpo do homem, transmite-lhe o princípio intelectual e moral, que o torna superior aos animais. As duas naturezas existentes no homem oferecem às suas paixões duas fontes diversas: umas provêm dos instintos da natureza animal, outras das impurezas do Espírito encarnado, que simpatiza em maior ou menor proporção com a grosseria dos apetites animais. O Espírito, ao purificar-se, liberta-se pouco a pouco da influência da matéria. Sob essa influência, ele se aproxima dos brutos, liberto dessa influência eleva-se ao seu verdadeiro destino.

 371 total views,  4 views today