O PAI-NOSSO IV – Rodolfo Calligaris – O Sermão da Montanha 5/5 (1)

Our Score
Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]
Download PDF

“O pão nosso de cada dia, dai-nos hoje.


O homem, ser complexo que é, constituído de corpo e alma,

precisa de substâncias nutritivas que lhe sustentem o organismo e

lhe forneçam energias para o trabalho, mas não prescinde de

outras coisas mais transcendentes, ou seja, daquilo que favoreça o

desenvolvimento de suas faculdades intelectuais e morais.

Nos primórdios de sua evolução, quando apenas vegeta, só

carece de manter-se vivo; desse modo, a conquista da subsistência

material é a razão de ser de toda a sua luta, de todos os seus

esforços.

Posteriormente, entretanto, começa a sentir outras emoções e a

alimentar outros desejos, eis que a simples conservação da vida já

não o satisfaz.
Uma sede de conhecimento exalta-lhe a mente,

levando-o a pesquisar o “como” e o “porquê” dos fenômenos que

ocorrem consigo e em seu derredor, ao mesmo tempo que um ideal

superior — a busca da Beleza e da Justiça — irrompe sob o

impulso da lei de progresso que lhe preside ao destino, e passa a

manifestar-se, insopitavelmente, nos íntimos refolhos de sua

alma.

Esse “pão” que, na prece do Pai-nosso, Jesus ensina-nos a

pedir ao Criador, não é, pois, apenas o alimento destinado à

mantença de nosso corpo físico, mas tudo quanto seja

indispensável ao crescimento e perfectibilidade de nossa

consciência espiritual, o que vale dizer, à realização do Reino dos

Céus dentro de nós.

Devendo conhecer, individualmente, o que é o bem, para

cultivá-lo, assim como as consequências do mal, para evitá-lo;

tendo, igualmente, de passar por toda espécie de experiências,

provando, alternativamente, a alegria e a tristeza, a opulência e a

miséria, a saúde e a enfermidade, o poder e a subordinação,

porquanto só assim nos será possível formar um caráter reto e

justo, cumpre-nos aceitar, de bom grado, com largueza de ânimo,

o que a vida, como expressão da Providência, nos reserve, visto

que, em última análise, tudo, o sofrimento inclusive, concorre para

que nos enriqueçamos em saber e moralidade, e nos aproximemos,

cada vez mais, daquele “estado de varão perfeito, segundo o

padrão do Cristo”, a que se refere o apóstolo Paulo.
(Efésios,

4:13.
)

Assim, quando suceder que, apesar de nossa diligência e

operosidade, não consigamos escapar à pobreza, aceitemo-la sem

revolta, como justa expiação de faltas cometidas em existências

anteriores, ou como uma prova a mais no processo de burilamento

de nossas almas, convictos de que, sendo Deus infinitamente justo

e bom, não nos imporia uma vida de privações se isso não fosse

útil ao nosso adiantamento espiritual.

Jamais invejemos aqueles que possuem em abundância, que

navegam na prosperidade; tampouco os amaldiçoemos se se

esquecem da lei da solidariedade que deve unir todos os homens,

como nos ensina o Evangelho.

Curta é a existência corporal e efêmeros os gozos que ela

proporciona.
Mais vale, portanto, sofrer resignadamente uma sorte

madrasta na Terra, e depois experimentar grandes alegrias no

mundo espiritual, do que levarmos, aqui, uma vida nababesca,

mas vazia de amor ao próximo, e acordarmos, depois, no Além,

abrasados de remorsos.

Por outro lado, quando a fortuna nos sorria, não nos

esqueçamos de repartir pelo menos o supérfluo com aqueles que,

impossibilitados de prover à própria subsistência, pela velhice ou

pela doença, vejam-se obrigados a estender a mão à caridade

pública, tremendo de vergonha e de fome.

Guardemo-nos ainda de, no ganho do “pão nosso”, avançarmos

também no pão de outrem.
Que, ao adquiri-lo para nós, não

obremos com injustiça, de modo a termos em demasia, enquanto

a outros falte o mínimo suficiente.

Compenetremo-nos, finalmente, de que é legítimo e muito

natural almejarmos, para nós e os nossos entes queridos, uma

situação de conforto e bem-estar; bom é, todavia, não olvidarmos

aquela sábia resposta do Mestre, dada ao tentador: “Não só de pão

vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”.

(Mateus, 4:4.
)

Loading

52 Comments

  1. Pingback: frt trigger

  2. Pingback: que es el litigio fiscal

  3. Pingback: efos y edos

  4. Pingback: Logo Designing

  5. Pingback: cannabis Ice Kream

  6. Pingback: 늑대닷컴

  7. Pingback: Slot online terbaru

  8. Pingback: OnePeace Live Action AMV

  9. Pingback: cream chargers delivery

  10. Pingback: superslot

  11. Pingback: mobile app development Singapore

  12. Pingback: allgame

  13. Pingback: 918kiss

  14. Pingback: หวย24

  15. Pingback: Skincare trends

  16. Pingback: french bulldog with clothes

  17. Pingback: pg slot

  18. Pingback: adult webcams

  19. Pingback: leak detection london

  20. Pingback: artificial intelligence attorney

  21. Pingback: carte uno reverse

  22. Pingback: cybersécurité

  23. Pingback: Raahe Guide

  24. Pingback: Raahe Guide

  25. Pingback: aplikasi slot resmi

  26. Pingback: Couples Therapy in Mayfair

  27. Pingback: Life Coach Chelsea

  28. Pingback: hotel on lake placid

  29. Pingback: resorts in the catskills new york

  30. Pingback: health supplements

  31. Pingback: megagame

  32. Pingback: evisa

  33. Pingback: 300 wsm ammo

  34. Pingback: ozempic

  35. Pingback: sicarios

  36. Pingback: SaaS Law Firm

  37. Pingback: itsMasum.Com

  38. Pingback: itsMasum.Com

  39. Pingback: formation rémunérées

  40. Pingback: ecole d'ingenieur informatique

  41. Pingback: systeme d'exploitation

  42. Pingback: FÜHRERSCHEIN KAUFEN

  43. Pingback: nang tanks

  44. Pingback: Nangs delivery

  45. Pingback: Plombier Tours

  46. Pingback: itsmasum.com

  47. Pingback: itsmasum.com

  48. Pingback: free chat online

  49. Pingback: meet strangers

  50. Pingback: itsmasum.com

  51. Pingback: itsmasum.com

  52. Pingback: bulldogs for sale in texas

Comments are closed.